terça-feira, 2 de junho de 2009

Médicos impedem acesso de pensionistas a genéricos grátis


Alguns clínicos continuam a receitar medicamentos de marca, proibindo a sua substituição, impedindo assim o acesso dos pensionistas com reformas inferiores ao salário mínimo aos genéricos gratuitos, uma medida que entrou em vigor segunda-feira.
De acordo com a edição desta terça-feira do Diário de Notícias, grande parte dos reformados, cuja pensão está abaixo do salário mínimo, não pôde beneficiar da comparticipação a 100% dos genéricos para os pensionistas, uma vez que os médicos «trancam as receitas», explicam as farmácias.
«Há de tudo, desde o médico que não permite a troca pela substância activa, ao que deixa o critério ao doente e este prefere o medicamento de marca ao genérico», declara Ana Cristóvão, da Farmácio Grincho, na Parede.
O secretário de Estado da Saúde, Francisco Ramos, não manifesta surpresa, adiantando que «faz parte das regras do jogo», que devem ser «alteradas gradualmente». Já o bastonário da ordem dos médicos sublinha que «é a confiança entre o médico e o doente que deve prevalecer».
O primeiro dia de vigência custo zero para os pensionistas pobres decorreu, contudo, sem complicações, uma vez que as farmácias estão preparadas do ponto de vista tecnológico. «Assim que se colocam os dados do cartão de utente no computador, já aparecem os zeros no lugar do valor a pagar», devido à actualização do software pelo Sifarma. LUSA

2 comentários:

Anónimo disse...

OS MÉDICOS ASSINARAM O ACORDO PARA A NOVA CARREIRA, contemplando uma carreira única.
AQUI:
http://tsf.sapo.pt/PaginaInicial/Portugal/Interior.aspx?content_id=1252830

E AGORA, SRS. ENFERMEIROS...

Anónimo disse...

Para bom entendedor…
http://www.sep.org.pt/images/stories/sep/accaosindical/2009/06/manifesto.pdf